terça-feira, 11 de outubro de 2016

Parábola das dez virgens - explicação e estudo

parábola das 10 virgens, explicação de Mateus 25, mateus 25:1, Virgens loucas, virgens prudentes, dez virgens esboço, parábola das dez virgens estudo, explicação mateus 25
     
 Olá leitor do Blog como está?
Obrigado por sua visita em nossa página, fique a vontade e deixe seu comentário do final da postagem. 

Hoje estudaremos sobre a Parábola das dez virgens, conheceremos o contexto do texto e quero leva-lo a refletir nessa mensagem, para a sua vida! Tenho certeza que ela ira de encontro com o que você precisa...
       
         Nos capítulos 24 e 25 de Mateus, temos um discurso escatológico descrito por Jesus. Desde o início da leitura podemos entender que o que  Jesus dizia, se tratava de um sermão profético sobre o fim de todas as coisas.
O capítulo 24 começa quando Jesus acabara de sair do Templo e foi para o monte das Oliveiras e estando sentado os discípulos começam a indagar: "Dize-nos quando vai ser isso, qual é o sinal da tua vinda e do fim desta época". 
Então Jesus responde descrevendo como será nos últimos dias, o principio das dores , a grande tribulação, a vinda de Cristo em glória. 
E por meio de algumas parábolas ele exemplifica o seu sermão: parábola da figueira, vigiar para não ser surpreendido, a parábola dos dois servos e a parábola da dez virgens.
        Agora que você já esta situado (a) no que antecede o capítulo 25 do nosso estudo, posso começar a falar sobre essa parábola que é bem conhecida pelos leitores da bíblia. 

Nos versículos 1-6, Jesus começa a parábola fazendo uma comparação com o Reino dos Céus, que é semelhante a dez virgens que, tomando suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo, mas cinco eram loucas e cinco prudentes, as insensatas ao pegarem as lâmpadas, não levaram azeite consigo, enquanto as prudentes levaram vasos de azeite com suas lâmpadas.
 Então o noivo se atrasa, todas elas acabam cochilando e dormindo.
 Quando era meia-noite, ouviu-se um grito: O noivo vem aí! Saí ao seu encontro!. 

Vamos entender o contexto desses versículos?
 
"Quando um jovem judeu nos tempos de Jesus, encontrava a mulher que queria (ou a mulher que seu pai dizia que ele queria), ele teria que se aproximar dela com um contrato de matrimônio. Ir á casa da moça com uma proposta, um acordo legal e verdadeiro, dando os termos pelos quais ele estava propondo o casamento. O mais importante a ser considerado no contrato, era o preço que ele estava disposto a pagar, para desposar aquela noiva em particular.
Devemos mencionar que esse valor não era “qualquer valor”, modesto e barato, mas ele deveria expressar o grande custo que aquele item “a noiva” lhe traria, que seria de grande valor para ele. Tendo que pagar caro, pela noiva que escolhesse. Quando esse assunto estava encerrado, o noivo partiria. Mas antes ele fazia um breve discurso à sua noiva dizendo: “Eu vou preparar lugar para você”, então ele retornava à casa de seu pai. De volta à casa do pai, ele tinha que construir para ela uma câmara de núpcias, uma pequena suíte, na qual eles teriam sua futura lua de mel. Notemos que essa era uma tarefa complexa para o noivo. Ele deveria realmente edificar um aposento separado da casa de seu pai, a suíte nupcial deveria ser linda, ninguém passa a lua de mel em “qualquer lugar”, e ali deveria haver provisões estocadas, pois a noiva e o noivo permaneceriam sete dias ali dentro. Esse projeto de construção tomaria praticamente um ano, e o pai do noivo seria o juiz sobre quando a obra estaria terminada. (Se fosse atribuído ao noivo, ele faria qualquer coisa e logo iria correndo buscar a noiva).
Por sua vez a noiva, deve esperar pacientemente. Ela teria que gastar o tempo de espera para preparar seu enxoval. A tradição mandava que ela tem que ter consigo uma lâmpada de azeite, em caso do noivo chegar em altas horas da noite escura, estando pronta para viajar de um momento para outro. Durante esse longo período de espera, ela tinha que ser conhecida como “consagrada”e “separada”. Algumas vezes o jovem poderia se ausentar por um período longo, mas obviamente voltaria em busca de sua noiva que tinha pagado um alto preço por ela. Nesse período de espera ela deveria usar um véu, sempre que saísse de casa, a fim de que outros jovens soubessem que ela já estava comprometida, e assim não se aproximariam dela com outra oferta de casamento. Ao decorrer do ano, a noiva deve convocar suas irmãs e suas melhores amigas, e todos os demais que iriam com ela para as bodas para estarem preparadas, para a chegada do noivo. Suas lâmpadas teriam que estar com o azeite prontas! 
Finalmente, a câmara nupcial estando pronta, o noivo então convocaria seus jovens amigos, para acompanha-lo na jornada ansiosa em busca da noiva. O grande momento chegou, e o noivo está mais que preparado. Ele e seus amigos entrariam pela noite, tentando de tudo para fazer a maior surpresa para a Noiva. E essa é a parte romântica, todas as noivas judias eram “roubadas”. Os judeus tinham um entendimento especial do coração das mulheres. Que alegria para ela ser tomada durante a noite, não por um estranho, mas pelo qual a amou tanto que pagou alto preço para tê-la.
Na casa da Noiva, as coisas deveriam estar prontas! Pois o noivo tentaria chegar à meia-noite, enquanto ela dormia. A lâmpada de óleo pronta, e o véu estar à mão. E enquanto ela dormia vestida de noiva, ela deveria ser surpreendida com a chegada do Noivo, e pronta para seguir com ele. Ele não poderia simplesmente arrancá-la de casa dormindo. Na verdade, quando a turma de jovens amigos do Noivo se aproximava da casa dela, eles eram obrigados a dar a ela um sinal. Alguém naquela turma deveria dar um grito! Quando ela ouvisse aquele grito, saberia que seu Noivo chegaria em mais alguns momentos.  Só daria tempo para acender sua lâmpada, tomar seu enxoval, e sair com ele. Suas irmãs e suas amigas, que quisessem assistir às bodas, também tinham que estar com suas lamparinas prontas. Ninguém poderia andar pela noite escura, no terreno rochoso de Israel, sem carregar uma lâmpada"!
       Esse é o contexto da Parábola, podemos notar que Jesus não usa a figura da noiva, mas sim a imagem das virgens que seriam as amigas da noiva que também estavam a espera do noivo. Todos os que estavam junto dela, tinham que estar prontos para a chegada do noivo. É isso que Jesus ressalta ao contar esta parábola que todas tinham as lamparinas mas só cinco levaram o azeite reserva na vasilha e as outras cinco ele as chama de tolas.
 Jesus era judeu e ele fazia coisas como um judeu. Frequentemente, se consultarmos as leis e costumes judaicos, vamos achar muitos motivos para as atitudes tomadas por Cristo. Ele seguiu essas tradições e peculiaridades quando escolheu sua noiva!
Meu querido leitor, será que estamos prontos para a vinda do noivo? 
Sabemos que o noivo desse conto é o Noivo Jesus que tanto esperamos já a quase dois mil anos.
Quem sabe você está perdendo a esperança da vinda do tão esperado Noivo. 
  Saiba que Jesus esta muito próximo de arrebatar a igreja. As virgens representam todos os que confessam Jesus Cristo como Salvador, pois todas tinham as lâmpadas como já foi citado mais a cima.
 A diferença está no azeite, ter e não ter o óleo para que a chama não se apague.
 O azeite representa a presença do Senhor, o Espírito Santo em nossas vidas!
 Como está sua candeia? 
Como está sua vida com Deus? se tem fogo ainda, como está sua vasilha da reserva? ou você está vivendo por um fio para que a chama do Espírito Santo se apague em sua vida?
  Será  que tem faltado oração, perdão, arrependimento, amor, paciência, temperança, paz, fé, mansidão, longanimidade, bondade, diferença, obediência, confiança. meditação na palavra e etc? Se tudo isso faltar na sua vida certamente seu vaso de azeite está vazio! E isso não é um bom sinal, pois o noivo esta as portas. 

Notemos que quando o noivo está próximo no V.6 se ouve um grito, anunciando que ele estava chegando. Assim é em nossos dias, Jesus tem seus amigos que estão em todos os lugares anunciando a vinda do Noivo, não só a vinda dele para o arrebatamento mas também sua vinda particular para cada pessoa. Jesus permite que seu nome seja anunciado para toda a criatura! É isso que estou fazendo nesse post, para te dizer que há tempo, ainda hoje de você mudar sua vida, suas atitudes, suas maneiras para com Deus.
  Começe a encher a vasilha da reserva, para que a chama do Espírito Santo nunca venha a apagar em sua vida, e quando o noivo chegar você estará pronto!!!
 Talvez você ainda não tenha Jesus Cristo em sua vida, não o confessou como Salvador, mas esse é o momento que Deus lhe proporciona de acreditar que Jesus se entregou numa cruz para perdão dos nossos pecados, para que todo aquele que nele crê, não pereça mas tenha a vida eterna!
Mas se você demorar demais, como as cinco loucas fizeram, elas vendo que seu azeite se acabara, pedem para as prudentes que dessem a elas do seu azeite, as sabias respondem: V.9 "De modo algum, o azeite poderia não bastar para nós e para vós. Ide aos que vendem e comprai para vós" enquanto elas foram comprar azeite o noivo chegou, e as prudentes foram para as bodas e a porta é fechada. 
Imagine que triste essa cena, da volta das cinco virgens loucas quando chegam a porta, elas dizem: 'Senhor, senhor, abre-nos!' (v.11). Mas ele respondeu: 'Em verdade vos digo: Não vos conheço!(v.12). 
Eu conjecturo que elas não conseguem comprar o azeite pois já era tarde, então voltam com suas lamparinas apagadas e ao bater na porta, não se tinha luz para que o noivo as vissem na escuridão da noite. 
Isso que aconteceu na parábola, relata o que irá acontecer. 
O Noivo precisa que nós estejamos iluminados pelo Senhor, pois o mundo está e trevas em uma completa escuridão e se não tiver luz, se não tiver diferença, o Noivo não nos reconhecerá!  Portanto, leitor (a) eu quero terminar com o último versículo deste capítulo que estudemos, 

" VIGIAI, portanto, porque não sabeis nem o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir" (v.13).


Que Deus te abençoe!

Receba estudos em seu email