quinta-feira, 18 de junho de 2015

Cristãos se unem contra a inclusão da teoria do gênero nas escolas.



A proposta de identidade de gênero tem sido debatida em diversas câmaras municipais do país e para impedir que esse projeto seja aprovado grupos religiosos estão se manifestando e forçando seus representantes a não aceitarem o termo.

Em São Paulo a pressão de católicos e evangélicos surtiu efeito e o termo desapareceu dos documentos que determinavam as propostas educacionais que seriam adotadas nas escolas municipais.

A imprensa internacional como o jornal espanhol El País, em sua versão em português, chamou a atitude dos religiosos de “cruzada” e falou também em “lobby religioso” para criticar a movimentação contra a inclusão dessa ideologia.

Ao substituir a palavra sexo por gênero, a proposta educacional – já retirada no Plano Nacional de Educação – difunde que as crianças podem escolher sua identidade de gênero sem se valer do sexo biológico. Em linhas gerais a definição de homem ou mulher seria escolhida pela própria criança, não mais pelo sexo com que ela nasceu.

A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se manifestou contra esse tipo de ensinamento através de uma nota, destacando que a adoção do termo gênero não é uma forma de combater a discriminação de homossexuais, “mas sim desconstruir a família” ao fomentar “o estivo de vida que incentiva todas as formas de experimentação sexual desde a mais tenra idade”.

Dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, também se pronunciou sobre o tema dizendo que “os legisladores [devem evitar] a ingerência do Estado no direito e dever dos pais e das famílias de escolherem o tipo de educação dos filhos”. Na nota divulgada por ele, afirma que a ideologia de gênero é uma distorção antropológica e terá consequências graves.

Além de São Paulo outras cidades brasileiras conseguiram impedir a aprovação de leis que incluem essa doutrinação nas escolas. Na cidade de Campinas, interior de São Paulo, há um “Projeto de Emenda à Lei Orgânica Anti-ideologia de Gênero” que proíbe legislações sobre o tema.


MINHA OPINIÃO

A cada dia mais crescem os números de tentativas de destruir aquilo que Deus projetou para o ser humano.
Projetos para aprovação da liberação de drogas, aborto, prostituição e muitos outros.
Mas esse ao qual estão tentando de uma forma injusta e diabólica aprovar, vai de encontro a nossa fé cristã.
Mas porquê?
A ideologia de gênero prevê o ensinamento na rede pública de educação o ensino de que um menino ou menina só o é, porque lhes foi imputado ou lhes forçado acreditar e pensar dessa maneira.
Querem em grosso modo confundir a cabeça das nossas crianças, ensinando-as que não existe homem e mulher e que tudo é questão de escolha.
O que a palavra de Deus diz sobre isso?
"E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou." (Gênesis 1 : 27)
"E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada." (Gênesis 2 : 23)
"Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne." (Gênesis 2 : 24)

Deus criou o homem e mulher e não podemos ir contra a sua palavra. Quem esses militantes pensam que são? Por acaso são mais que Deus?
O que me deixa mais estarrecido é que não fizeram (e não tem) nenhuma pesquisa ou estudo científico nessa área em que estão querendo mexer. A própria ciência reconhece que existe homem e mulher. existe cromossomos XX e XY e não tem como mudar isso.
Então eu pergunto cadê os 50 milhões de evangélicos do Brasil?
Vamos ficar calados ou vamos clamar?
Vamos nos esconder e ser omissos ou vamos dizer não a essa é outras Afronta a família e nossa fé cristã?

Jesus Cristo está vindo aí para buscar a sua igreja. Não é hora de adormecermos e sermos pegos desprevenidos como as virgens loucas.

Compartilhe essa mensagem com seus amigos e comente deixando a sua opinião neste post se for possível.
 
Deus abençoe!

Receba estudos em seu email